PR14 Arouca – Drave, A Aldeia Mágica

O PR14 do Geoparque de Arouca é um trilho ao nosso estilo, montanhoso mas não muito longo, com vistas agradáveis e um destino final absolutamente maravilhoso – Drave, a Aldeia Mágica.

Drave é uma aldeia que apesar de ter sido completamente abandonada, o último habitante permanenente saiu em 2000, ainda está bastante bem conservada. Tem muitas ruínas mas também tem casas que estão conservadas (nomeadamente o Solar dos Martins que é usado pelo corpo nacional de escutas) e cujas ruas e ruelas estão bem presevadas.

Existem outras formas de chegar a Drave, mas não há estradas asfaltadas para lá ir. Este PR14 é provavelmente a mais fácil e a melhor forma de lá ir. Quem tiver um 4×4 pode tentar fazer um outro percurso numa estrada de montanha de terra batida, mas aconselhamos que seja mesmo um 4×4, dado que a estrada não está propriamente em boas condições.

PR14 Arouca - Drave, A Aldeia Mágica
Drave, A Aldeia Mágica

Trilho para Drave PR14 – informação geral

  • Nome: PR14 – Aldeia Mágica
  • Inicio – Regoufe, junto à Capela
  • Fim – Drave
  • Distância – 4 km até Drave (8 km ida e volta)
  • Tempo necessário – 3 horas
  • Dificuldade – Moderada
  • Máx/min altitude: 720/600 metros
  • Ganho de altitude: N/A
  • Tipo – Linear
  • Sinalização (1-5) – 5, muito facil de seguir
  • Destaques: Paisagem de Montanha, Drave, Cascatas e lagoas da Ribeira de Palhais, Regoufe.
  • Pode fazer download do panfleto aqui
Trilho para Drave PR14 - informação geral
Aldeia de Regoufe

Nossa experiência no trilho

O trilho da Aldeia Mágica inicia-se na aldeia de Regoufe, junto à capela da aldeia. Lá vai encontrar um painel informativo com informação sobre os dois trilhos do Geoparque de Arouca que se iniciam naquele local – PR13 e PR14. Hoje vamos explorar o PR14 Aldeia Mágica.

O trilho da Aldeia Mágica
Inicio do trilho na Capela de Regoufe

A parte inicial do trilho atravessa a aldeia até se virar à esquerda e atravessar a pequena ribeira de Regoufe. Após atravessarmos a ponte, será sempre a subir por mais de 1 km, num caminho bem marcado e sinalizado mas com muita pedra – xisto, o que é bastante castigador para os pés. Mas não desmoralize, pois esta é claramente a subida mais dura do percurso.

Quando se está a chegar lá cima, o caminho deixa de ter tanta pedra e passamos a caminhar num belo, e agradável caminho de montanha. No ponto mais alto do percurso temos uma vista maravilhosa para a serra e apenas quando se chega lá cima é possível perceber a imensidão daquela paisagem.

A partir daqui começamos a descer lentamente em direcção a Drave. O caminho é agora lageado, e fácil de seguir, existe apenas um momento em que temos de virar a esquerda, mas além de estar indicado no chão, temos Drave a aparecer ao longe, e por isso não tem que enganar. É muito possível que encontre gado pelo caminho, mas não deverá ter qualquer problema pois é gado manso. Apenas deve respeitar o seu espaço e evite tocar-lhes.

Vista de Drave no fundo do horizonte

Após cerca de 4 Km de caminhada atravessamos mais uma pequena ribeira, desta vez a ribeira de Palhais e começamos a ver muros a ladear o caminho, o sinal que estamos a chegar a Drave, a Aldeia Mágica!

Agora que estamos em Drave aproveite para explorar esta incrível aldeia aparentemente perdida e abandonada no sopé das montanhas. Não se esqueça de descer até à ribeira, onde vai encontrar pequenas lagoas e cascatas. É o lugar perfeito para descansar, fazer um picnic e se o tempo permitir dar um mergulho.

Como fazer o trilho PR14 em Arouca
Pequena cascata perto da aldeia de Drave

Quando estiver pronto para voltar, apenas tem de seguir o mesmo caminho, pois este é um percurso linear de 4 km. No retorno tenha especial atenção à descida final pois a inclinação, as pedras tornam-na muito dada a escorregões e entorses… ou pelo menos é o que diz a nossa fisioterapeuta de serviço.

Notem que também vale a pena explorar um pouco Regoufe, é uma bem interessante e bonita. Um dos principais pontos de interesse de Regoufe são as minas abandonadas. Estas antigas minas de volfrâmio eram exploradas pelos ingleses e por isso essenciais para o fabrico de armas e munições. O PR14 não passa lá, mas é simples lá ir a partir de Regoufe.

Como ir a Drave a pé
Aldeia magica, Drave

Melhor altura do ano para fazer o trilho

Este é um trilho que pode ser feito o ano todo. Apenas desaconselhamos que o faça com chuva, pois com tanta pedra na fase inicial, é bem possível se torne perigoso. Por outro lado, atenção às temperaturas muito elevadas e sobretudo ao sol durante os meses mais quentes pois o percurso não tem sombras.

Tal como dissemos em cima, quando chegar a Drave existe a possibilidade de se refrescar nas pequenas lagoas e cascatas, pelo que na nossa opinião este trilho é mais adequado ser feito no Verão, ou pelo menos quando está quentinho.

Como fazer o trilho PR14 para Drave
Trilho para Drave

Quem pode fazer o trilho?

O trilho não é demasiado longo, nem íngreme, mas também praticamente não tem partes planas. Além do mais, os 4 km são enganadores, pois temos sempre que fazer os 8 km da ida e volta. Ou seja, faz-se bem, mas a verdade é que no dia seguinte sentiamos as pernas…

Dito isto, qualquer pessoa habituada a fazer caminhadas consegue fazê-lo. Não há que ter medo. Mas desaconselhamos que se faça com crianças de colo, pessoas com pouco mobilidade ou idosos.

Tudo o que precisa de saber sobre o trilho para Drave , PR14
Trilho perto de Drave, com muros a ladear o caminho

O que levar?

Tal como já dissemos várias vezes (até porque é um dos atractivos) Drave é uma aldeia abandonada, pelo que não existem lojas/cafés/restaurantes em Drave nem a caminho. Leve tudo o que precisar consigo. Assim, aconselhamos que leve:

  • Muita água (no mínimo 2l por pessoa);
  • Snacks e sandes para fazer picnic junto a Ribeira de Palhais;
  • Calçado de caminhada confortável – neste percurso é capaz de ser boa ideia levar botas de caminhada, devido às rochas. Desaconselhamos vivamente que tente fazer o percuros de havaianas;
  • Roupa confortável;
  • Casaco de chuva, no Inverno – estamos na montanha, o tempo muda muito rapidamente;
  • Roupa de banho, óculos de sol, chapéu e protector solar no verão;
  • Camara e telemóvel, pois existem muitas oportunidades para tirar belas fotos. Telemóvel também para ser usado como GPS.
  • Mochila pequena para levar tudo isto;

Como sempre, por favor não faça lixo. Traga tudo o que levar consigo.

Como chegar ao trilho PR14 para Drave
Cabras no trilho para Drave

Como chegar ao trilho?

Dado que estamos a falar de um trilho linear, este tem um início e um fim. O início é na capela da aldeia de Regoufe. Não existe qualquer hipótese de apanhar o trilho a meio, ou de o fazer de forma inversa pois simplesmente não existem acessos.

Para chegar a Regoufe tem de apanhar a estrada M567, e virar na indicação Regoufe. É bastante simples pois não há muitas opções para ir ter à Aldeia. Quando chegar, assim que encontrar um lugar, tente estacionar de imediato, pois existem muito poucos locais adequados a deixar o carro.

Tudo sobre o trilho para a Aldeia Magica, Drave
A aldeia pitoresca de Drave

Onde ficar quando fizer o PR14 – A Aldeia Mágica?

Tal como já referimos não existe nenhuma possibilidade de ficar em Drave, nem em no percurso. Regoufe também não tem qualquer alojamento. Assim, o ideal será mesmo ficar em Arouca ou nas redondezas.

Arouca tem bastantes opções de alojamento, mas a nossa favorita é o Hotel São Pedro. Tem uma optima relação qualidade preço, quartos agradaveis e confortaveis, e um bom pequeno almoço. Veja se ainda tem quartos disponiveis.

Caso queira alugar uma casa inteira, para uma família ou grupo de amigos, sugerimos o Apartamento Milénio T2. Tem excelentes condições, fica mesmo no centro e é ideal para até 4 pessoas. Veja aqui o preço.

Se nenhuma das opções acima lhe agrada, sugerimos que pesquise no mapa abaixo

Booking.com

Pin it later

PR14 Arouca - Drave, A Aldeia Mágica
PR14 Arouca - Drave, A Aldeia Mágica

Sharing is caring!

shares