Trilho dos Pescadores – etapa 3 – Vila Nova de Milfontes a Almograve

Este é um trilho fabuloso que liga duas bonitas vilas costeiras alentejanas através de praias, arribas, dunas, floresta e até zonas agrícolas. Apesar de fazer parte do muito mais longo trilho dos pescadores, é perfeitamente possível de ser feito apenas esta etapa.

O trilho dos pescadores na rota vicentina é um dos mais bonitos de Portugal, com cerca de 230km de percursos pedestre que vão desde São Torpes a Lagos, ou vice-versa. Os trilhos são quase sempre à beira-mar e podem ser feitos na totalidade, parcialmente ou apenas um só dia.

A etapa 3 do trilho dos pescadores vai desde Vila Nova de Milfontes a Almograve. Este é um dos dias mais curtos e mais fáceis da rota vicentina, mas não é por isso menos interessante e recompensador. O percurso entre Milfontes e Almograve tem oficialmente 15.5km mas pode ainda ser reduzido para cerca de 12km, como vamos explicar em baixo.

Neste artigo vamos explorar este trilho que liga duas bonitas vilas costeiras alentejanas, explicando toda a logística, desde onde ficar e onde comer, ao que levar e o que esperar do percurso pedestre. Para quem tem pouco tempo e não quer ou não pode fazer uma caminhada demasiado longa, este é o trilho a fazer.

Trilho dos Pescadores - etapa 3 - Vila Nova de Milfontes a Almograve
trilho Vila Nova de Milfontes a Almograve

Trilho dos pescadores – Vila Nova de Milfontes a Almograve

  • Nome: Etapa 3 do trilho dos pescadores
  • Inicio– Vila Nova de MilFontes
  • Fim – Almograve
  • Distância – 15.5 km
  • Tempo necessário – 5-6 horas
  • Dificuldade – Moderada, devido areia
  • Máx/min altitude: Quase sempre ao nível do mar
  • Ganho de altitude: irrelevante
  • Tipo – linear
  • Sinalização (1-5) – 5, excelente
  • Destaques: Vila Nova de Mil fontes, Praia das Furnas, Praia do Brejo Largo, Almograve
  • Ciclável: Não
como fazer o Trilho dos Pescadores - etapa 3 - Vila Nova de Milfontes a Almograve
Mapa da Rota Vicentina- Etapa 2 do trilho dos pescadores

Nossa experiência no trilho

Este trilho inicia-se em Vila Nova de Milfontes, começa logo com um problema… atravessar o rio Mira. Oficialmente, devemos seguir por Milfontes em direcção à estrada nacional, virar para a ponte, atravessa-la e após alguns minutos virar à direita num portão. Abrimos o portão e continuamos o trilho por campos e zona arborizada que vai ter novamente ao Rio Mira, agora na margem sul. Todo este percurso são 3 a 3.5km…

Não oficialmente, temos uma outra alternativa, talvez bem mais interessante. Apanhar o ferry, desfrutar de uma bela viagem de barco para começar o dia, e em poucos minutos estar do outro lado, prontinhos para a caminhada! Se devem, ou não apanhar este atalho, é com cada um vocês, mas nós achamos que o ferry é sem dúvida a melhor opção. Além de ser sempre uma actividade sempre divertida, e menos cansativa, o percurso pela ponte acrescenta muito pouco à experiência da caminhada pois é sempre à beira da estrada e sem qualquer ponto de interesse. Exceptuando talvez a vista do topo da ponte.

tudo sobre etapa 3 - Vila Nova de Milfontes a Almograve
Vista de Vila Nova de Milfontes de Ponte

Estando agora na margem sul da foz do rio Mira iremos continuar para sul, mas antes temos de ir à praia das furnas, considerada uma das melhores praias de Portugal. Ganhou mesmo o concurso das sete maravilhas praias de Portugal, na categoria de praias fluviais. Na prática a praia das furnas fica virada tanto para o mar como para o Rio Mira, e a influência de ambos é que a torna tão especial.

Durante estes trilhos da rota vicentina aconselhamos quase sempre que vá bem cedo, e faça uma caminhada antes do pico do calor. Por isso fazer praia logo de início pode não ser boa ideia, mas dado que a caminhada é bem mais curta, e esta é uma praia famosa, talvez possa aproveitar. Note no entanto que esta nem é a melhor praia deste trilho.

Caminhar de Vila Nova de Milfontes a Almograve
Praia das furnas em Vila Nova de Milfontes

Depois da praia das furnas vamos subir para a parte superior das arribas e caminhar por essa zona. Nesta etapa, temos imensos campos cultivados, e as vistas variam entre, dunas, zonas florestais, rurais e campos agrícolas. O percurso é assim durante cerca de 7-8 km, sem grandes dificuldades, ondulando e com pouca ou nenhuma areia.

Há zonas onde a vegetação nativa mostra toda a sua diversidade, mas noutras a agricultura intensiva chega quase até ao mar. É um pouco estranho dado que estamos num parque natural, mas não deixa de ter o seu interesse.

Etapa 3 do trilho dos pescadores
Campos de agricultura ao longo do trilho dos pescadores

Eventualmente vai chegar a um cruzamento de trilhos, onde o trilho dos pescadores se une com um dos trilhos circulares de pequena rota. a partir daqui a paisagem muda um pouco, e entramos numa parte do trilho muito arenosa e junto ao mar. Felizmente, quase de seguida chegar ao ponto alto deste trilho, a praia do Brejo Largo.

A praia do Brejo largo é um paraíso. A dificuldade de acesso fazem com que não tenha sido desenvolvido nenhuma estrutura turística, mas a areia dourada finíssima, e o mar cristalino são absolutamente deslumbrantes. Naturalmente, não tem praticamente ninguém na praia. O acesso à praia é no mínimo curioso, pois tem de ser feito com uma corda na arriba que tem escavada algumas escadas.

Mesmo que não queira ou não possa fazer praia, este é o lugar para se parar, lanchar, e descansar um pouco. A partir daqui o percurso é mais duro, porque é muito mais arenoso. Existem outras praias, mas nenhuma delas é tão boa como a do Brejo Largo.

Informaçoes sobre o trilho dos pescadores etapa 3
A praia mais bonita da etapa 3 do trilho dos pescadores – praia Brejo Largo

Apesar de tudo, depois do Brejo largo já estamos bem perto do Almograve. São 2 a 3 km que custam bastante devido à areia fina e solta, mas que se faz em menos de uma hora. Quando se chega à praia da foz dos ouriços, o trilho circular volta a separar-se do trilho dos pescadores, mas o curioso é que ambos vão ter ao Almograve.

Mais curioso ainda é que se seguir o trilho circular é bem mais rápido, pois vai a direito para o Almograve, enquanto que o trilho dos pescadores vai para o interior e entra em Almograve pelo “outro lado”. Se quiser pode poupar mais quase um km aqui, pois essa zona interior não acrescenta nada a este trilho. Pelo contrário, o trilho circular passa perto da praia do Almograve, outra praia Maravilhosa do Sudeste Alentejano.

Seja como for, Almograve está à vista, e por isso o trilho está na prática terminado. Veja em baixo mais informação sobre Almograve e VN de Milfontes.

Como ir de Vila Nova de Milfontes a Almograve
Praia de Almograve

Sobre Vila Nova de Milfontes

Este trilho inicia-se em Vila Nova de Milfontes, talvez a mais bonita vila costeira do Alentejo conhecida também como a “princesa do Alentejo”. Situada na foz do Rio Mira, Milfontes é um excelente destino de praia e de desportos aquáticos, nomeadamente SUP, windsurf ou canoagem. Naturalmente Milfontes tem imensos restaurantes, bares, cafés, mini mercados e supermercados, hostels, apartamentos e hotéis. Existem aqui opções para todos os gostos.

Se estiver a fazer o trilho dos pescadores, Milfontes é um local ideal para tirar um dia de descanso. A vila é grande, com bastante coisas para fazer, e a etapa anterior é bem dura.

Etapa 3 do trilho dos pescadores
Vila Nova de Milfontes

Onde ficar em Milfontes?

Quando fizemos o trilho dos pescadores, ficamos nos Apartamentos Victoria. Escolhemos este alojamento sobretudo pelo seu preço baixo e boa localização. Clique aqui para ver mais informação.

Existem no entanto imensas opções de alojamento em Milfontes, com alternativas para todo o tipo de preço e viajantes. Veja aqui.

Onde Comer em Milfontes?

Tal como referimos em cima Milfontes é um destino de férias muito popular e naturalmente existem diversos restaurantes de qualidade. Sugerimos que aproveite para comer peixe e marisco, e claro comida tradicional alentejana.

O mais conhecido (e possivelmente o melhor) restaurante em Milfontes é o Pátio Alentejano, mesmo no centro. Boas alternativas são o À Fateixa, junto ao porto, e o Choupana na praia do farol. O À Fateixa surpreendeu-nos pela qualidade e preços acessíveis. É também conhecido pelos caracóis, para quem gosta…

Informação sobre o trilho dos pescadores etapa 3
Alhada de Raia no restaurante À Fateixa

Sobre o Almograve

O Almograve é uma pequena aldeia muito popular no verão devido à sua fabulosa praia. É uma excelente opção para quem gosta férias de praia e relax, mas também para quem gosta de caminhadas pois além desta que aqui referimos, tem várias outras. No últimos anos, o Almograve (e outras aldeias da região) tem recebido imensos imigrantes nepaleses e indianos para trabalhar nas muitas quintas e estufas da região. Assim, não se surpreenda se os vir de manhãzinha e ao final da tarde a passear ou a caminho do trabalho.

Apesar de tudo é bastante menor que VN Milfontes e até que a Zambujeira do Mar, no entanto, tem vários restaurantes, cafés e mini mercados onde se pode abastecer. Como a vila é pequena, são muito fáceis de encontrar. Outro ponto positivo é que os mini mercados funcionam também com cafés, e abrem bem cedo as 6h00, pelo que pode-se tomar o pequeno almoço e abastecer para o trilho de uma vez.

Informação sobre o trilho de Vila Nova de Milfontes a Almograve
Praia de Almograve

Onde ficar no Almograve?

Dada a sua popularidade, existem diversas opções de alojamento, pelo que não deverá ter dificuldades em encontrar um lugar para ficar. Quando fizemos este trilho ficamos na Casa das andorinhas, e achamos ser uma boa opção de baixo custo mas com bastante conforto. Fica no centro de Almograve e perto de tudo o que precisa. Clique aqui para ver mais informação.

Onde Comer no Almograve?

Existem diversos restaurantes no Almograve, pelo que não terá problemas em encontrar onde comer. Os restaurantes mais conhecidos são talvez o Torralta e o Lavrador, onde pode apreciar pratos típicos portugueses e alentejanos.

No entanto, quando fizemos o trilho decidimos ir foi o Mar Azul, um restaurante Nepalês/Indiano aproveitando a nova realidade desta região. Como gostamos muito deste tipo de cozinha, mas nunca tínhamos experimentado Nepalês foi bastante agradável e a qualidade da comida é muito boa.

Como fazer o trilho dos pescadores etapa 3
Comida Nepalesa do restaurante Mar Azul em Almograve

Melhor altura do ano para fazer o trilho dos pescadores

A melhor altura do ano para caminhar o trilho dos pescadores é a Primavera, nomeadamente em Abril/ Maio. Alternativamente, o final do Verão e inicio de Outono será também excelente, sobretudo porque o mar estará com temperaturas bem mais agradáveis e esta etapa tem imensas praias convidativas.

No entanto, entre a Primavera e o Outono, a nossa preferência vai para a Primavera sobretudo porque é quando a vegetação está mais bonita, com flores selvagens por todo o lado. Em ambos os períodos os dias serão longos, e com temperaturas mais agradáveis para longa caminhadas.

No Verão temos o problema do calor, e é realmente um problema. Notem que 90% do trilho é feito ao sol, sem sobras ao longo do percurso nem grandes hipóteses de fugir do sol pois a vegetação é sobretudo rasteira. Por outro lado, temos a vantagem da água do mar estar também mais quente.

Durante o Inverno, o frio, a chuva e o vento podem tornar o trilho bem duro e menos agradável. No entanto, nunca o fizemos nesta altura.

Trilho Vila Nova de Milfontes a Almograve - Etapa 3 do trilho dos pescadores
Trilho Vila Nova de Milfontes a Almograve – Etapa 3 do trilho dos pescadores

Quem pode fazer o trilho?

Este é um trilho para pessoas com alguma resistência física e sem qualquer problema de mobilidade. A idade não deverá ser um factor, mas sim a capacidade física. Desaconselhamos que faça com crianças pequenas, pois poderá ser um pouco, mas adolescentes e talvez pré-adolescentes habituados a fazer exercício consigam fazer esta etapa.

Notar que por vezes o percurso é feito junto a arribas e desfiladeiros pelo que pessoas com medo de alturas ou vertigens poderão ter problemas em certas partes.

O que levar?

Este trilho é uma das etapas de um trilho maior, o trilho dos pescadores. É importante diferenciar se vai fazer apenas esta etapa ou vários dias. A regra geral é nunca fazer caminhadas com mais de 10% do nosso peso, mas se estiver a fazer um percurso de vários dias, temos de ter especial atenção ao que levar pois quanto menos peso melhor.

Caso decida fazer vários dias aconselhamos que veja este artigo sobre o trilho dos pescadores. Se vai fazer apenas esta etapa entre Porto Covo e Vila Nova de Milfontes sugerimos que leve:

  • Muita água (no mínimo 2l por pessoa) – leve sempre água para todo o dia pois é muito provável que não tenha oportunidade de comprar nada durante o percurso.
  • Snacks para se alimentar durante o dia. Não existem restaurantes durante quase todo o percurso.
  • Calçado de caminhada confortável – Faça a caminhada com calçado de caminhar ou correr. Nós usamos sapatilhas de corrida, mas há quem sugira usar calçado de caminhada. Sapatilhas têm a desvantagem de precisar de tirar a areia regularmente, mas a vantagem de ser bem mais frescas; Seja como for, não use os chinelos para fazer as caminhadas, é muito tempo e vai tornar-se desconfortável.
  • Roupa leve e confortável;
  • Não esquecer de levar pelo menos uma camisola mais quente ou hoodie pois de manhãzinha pode fazer bem mais frio do que espera, nomeadamente fora do Verão.
  • Roupa de banho, óculos de sol, chapéu e protector solar, por razões óbvias
  • Câmera e telemóvel, pois existem muitas oportunidades para tirar belas fotos. Telemóvel também para ser usado como GPS.
  • Mochila para levar tudo isto;

Como sempre, por favor não faça lixo. Traga tudo o que levar consigo.

Para quem vai fazer vários dias é importante notar que existem empresas de transferes que levam as malas para o destino. Assim se quiser levar ainda menos peso, esta pode ser uma boa hipótese. Veja aqui.

Formações rochosas nas praias ao longo do trilho dos pescadores- Etapa 3

Como chegar ao trilho?

Os trilhos iniciam-se no centro das vilas, pelo que é muito simples lá chegar de carro. Estacionar também não será um problema.

Tanto Vila Nova de Milfontes como Almograve têm até autocarros da rede expresso para Lisboa e Lagos, pelo que se não quiser usar carro será bem simples. Caso queira poderá voltar ao inicio utilizando um táxi, ou um dos muitos serviços de transfer que existem ao longo do trilho dos pescadores.

Etapa 3 do trilho dos pescadores
Etapa 3 do trilho dos pescadores

Sharing is caring!

So glad to see you are interested in Portugal

Want to be the first one to receive the new Portugal stuff?

Enter your email address below and we'll send you the goodies straight to your inbox.

Thank You For Subscribing

This means the world to us!

Spamming is not included! Pinky promise.