Como ir à Cascata e Poço do Dola no Gerês

O Parque Nacional da Peneda-Gerês apresenta uma diversidade enorme de miradouros, cascatas, poços, lagoas e praias. Algumas são já bastante conhecidas, mas o Parque Nacional é enorme e ainda tem alguns segredos guardados.

Neste artigo vamos falar sobre o Poço do Dola e da sua cascata, explicando como lá ir e o que esperar do percurso e do destino. Este é um dos poços mais bonitos do Gerês, mas é também dos menos conhecidos e que normalmente têm menos gente. De facto, nem o poço nem a cascata estão sequer marcados no google maps, pelo que os descobrir torna-se um pouco mais difícil, mas com as nossas indicações vai lá chegar e poder usufruir deste autêntico paraíso natural.

Além da Cascata e Poço do Dola, é possível visitar as Piocas (ou lagoas) da Biduíça também na mesma área, mas para nascente. Esta zona é uma zona de alta montanha, pelo que sugerimos que tenha especial cuidado e atenção.

Por último e muito importante, segundo as regras do Parque Nacional da Peneda Gerês, o Poço do Dola fica já em Área de Proteção Parcial tipo I, pelo que não é permitida a realização de trilhos por grupos superiores a 10 pessoas sem autorização prévia.

Como ir à Cascata e Poço do Dola, Gerês
Cascata e Poço do Dola no Gerês

Trilho para o Poço Dola – informação geral

  • Nome: Poço do Dola
  • Inicio – Estrada M308, junto à captação de água do Ribeiro da Abelheira – coordenadas (41°46’46.9″N 7°59’41.7″W)
  • Fim – Poço do Dola
  • Distancia – cerca de 3km (só ida)
  • Tempo necessário – 1h30 a 2 horas para ir, outro tanto para voltar
  • Dificuldade – Média-Alta
  • Máx/min altitude: 1050 – 730 metros
  • Ganho de altitude: cerca de 350 metros
  • Tipo – linear
  • Sinalização (1-5) – 0, sem marcações, apenas mariolas.
  • Destaques: Poço do Dola, Cascata
Trilho para o Poço Dola - informação geral
Cascata da Dola

Como ir ao Poço do Dola

Apenas conhecemos duas formas de ir para o Poço do Dola, e são até bastante semelhantes pois são simplesmente duas formas diferentes de subir para a Corga da Abelheira, começando até relativamente perto uma da outra na estrada municipal M308, a cerca de 2km de Cela.

Um caminho é um pouco mais curto e inclinado e o outro mais longo e menos inclinado. Na prática demora mais ou menos o mesmo tempo, e o grau de dificuldade é também semelhante. Talvez o percurso mais longo seja mais aconselhável pois tem menos pedra e menos arbustos no meio do caminho.

Trilho para o Poço Dola - informação geral
Mariolas pelo trilho para o poço da Dola

Caminho mais curto

O percurso mais curto inicia-se junto à captação de água da Ribeira da Abelheira. Ali existe um pequeno descampado em terra batida onde se pode estacionar o carro. Este local é relativamente fácil de identificar por ser possível ver a captação de água da estrada. Caso não consiga encontrar, insira no GPS a localização 41°46’46.9″N 7°59’41.7″W.

Depois de estacionar o carro junto à estrada, avançamos em direção à captação de água. Passamos por baixo do canal de água e seguimos em frente pelo caminho. Não existe qualquer indicação, mas só existe uma hipótese. A ideia geral é subir o vale da Ribeira da Abelheira, sempre com a ribeira ao nosso lado esquerdo, até chegarmos à Corga da Abelheira no topo do vale.

Caminho mais curto para o poço da Dola
Início do caminho curto para o poço da Dola

O caminho é sempre a subir, mas vai-se tornando cada vez mais inclinado até ao fim. De início, a inclinação é relativamente pequena, mas existem muitas silvas que dificultam bastante a progressão. À medida que vamos subindo, começa a haver menos vegetação, e começamos a ver cada vez mais mariolas que nos ajudam a seguir o trilho mais facilmente.

Na parte final do trilho, a inclinação é máxima e sobretudo existem muitas pedras. É importante seguir o trilho e as mariolas atentamente. Não que exista grande risco de se perder pois existe boa visibilidade, mas porque é bem cansativo andar para trás e para frente montanha acima.

Desde lá de baixo até à Corga da Abelheira no topo, são cerca de 2 km sempre a subir passando de cerca 750 metros de altitude para 1050 metros. É duro, mas faz-se bem se não estiver muito quente. Da Corga da Abelheira temos uma vista brutal, em todas as direções. Vê-se o vale da Abelheira que acabamos de subir, a Barragem da Paradela lá bem ao fundo, e claro o nosso destino final, o Poço do Dola e a respetiva cascata.

Como ir ao poço da Dola no Gerês
Canal de água no trilho para o poço da Dola

Caminho mais longo

O percurso mais longo começa a cerca de 1 km do caminho explicada anteriormente. Não é tão fácil estacionar, mas há alguns lugares na berma da estrada. As coordenadas são 41°46’26.6″N 7°59’11.0″W.

Partimos de cerca de 750 metros de altitude, e vamos chegar a mais de 1000 metros. No início parece que vamos ter um caminho largo, mas são apenas algumas dezenas de metros, depois entramos rapidamente em caminho de montanha com imensa vegetação na parte inicial.

A parte inicial do percurso é sempre a subir, como não podia deixar de ser, e é bastante demorada de se fazer, pois, temos de estar constantemente a procurar as mariolas para seguir o trilho correto e a evitar os arbustos e silvas.

Há medida que vamos subindo vamos apanhando zonas mais rochosas e sem arbustos, o que facilita a caminhada. O último km é bastante mais fácil pois é menos inclinada e não tem grandes arbustos.

No total são cerca de 3 km até à Corga da Abelheira, o ponto onde intercetamos o caminho referido anteriormente.

Caminho mais longo para o Poço da Dola
Início do caminho mais longo para o poço da Dola

Descida para o Poço da Dola

Da Corga da Abelheira até ao Poço do Dola é sempre a descer, e como vemos o nosso destino final, não há possibilidade de se perder. Aconselhamos que siga as mariolas pois é um caminho já batido e por isso mais fácil de fazer.

Tenham atenção às pedras, pois a descida é bem inclinada e se apanhar pedras soltas pode facilmente torcer um pé, o que ali não é nada aconselhável. No fim da descida chegamos ao Poço do Dola.

A Cascata do Dola é a última e a maior de uma série de cascatas e rápidos do Ribeiro Dola. O Poço do Dola fica logo na sequência da Cascata do Dola, mas não é fácil de aceder pois o caminho é um pouco inclinado. Aconselhamos cuidado, para não haver acidentes.

Tudo sobre o poço da Dola
Vista para o ribeiro da Dola – caminho de descida até chegar ao poço

A cascata do Dola é surpreendentemente alta, com cerca de 10 metros de altura (a olho) e mesmo no Verão costuma ter alguma água. A lagoa, ou o poço, é absolutamente fabulosa e não fica nada a dever relativamente a outros poços do Gerês mais famosos e populares, como o Poço Azul ou o Poço Verde.

Se em termos de beleza e dimensão o Poço é fabuloso, tem ainda uma outra vantagem. Não tem ninguém, nem no pico de Verão. Sempre que lá fomos, estávamos completamente sozinhos e tínhamos a lagoa e a cascata do Dola só para nós. Este é o destino ideal para quem se queixa que Gerês está sempre abarrotar.

Também é possível mergulhar, nadar, apanhar sol, numa lagoa uns 100 metros acima da cascata. Tem água lindíssima, transparente, serena. São também espetaculares e são conhecidas como as piocas do Dola. Veja nas fotos.

Caminha o trilho para o poço da Dola
O poço da Dola é um ótimo sítio para nadar

Além do Poço do Dola

O Poço Dola está descoberto, mas caso queira continuar a caminhar pode tentar descobrir mais alguns lugares escondidos do Parque Nacional. Se continuar pelo trilho ao longo do Ribeiro do Dola vai ver várias piocas (poços/lagoas) até chegar ao Ribeiro das Biduíças (um afluente do Ribeiro do Dola). Por fim, seguindo o Ribeiro das Biduíças vai ter ao Curral das Biduíças, o último ponto de interesse neste trilho.

Toda esta zona é bastante mais plana do que o percurso até chegar ao Poço do Dola, e por isso faz-se mais rápida e facilmente. Não se esqueça de tirar algum tempo para mergulhar nas águas destas lagoas maravilhosas e que muito possivelmente terá só para si.

O Parque Nacional da Peneda-Gerês é extremamente popular no Verão, mas ainda é possível descobrir alguns destes lugares com muita pouca ou nenhumas pessoas.

Quando lá fomos tivemos o Poço só para nós, durante todo o tempo que quisemos, o que foi uma experiência que nunca tínhamos tido no Gerês no Verão. Talvez também por isso, o Poço do Dola passou diretamente para o top dos nossos lugares favoritos no Gerês.

trilho para o poço da Dola e cascata da Dola
Piocas ao longo da ribeiro da Dola

Melhor altura do ano para visitar o Poço do Dola

Sem dúvida o verão é a melhor altura para visitar o Poço do Dola. Noutra altura o risco de estar demasiado frio para ir à água, ou pode haver mudanças de tempo repentinas, é bastante maior.

Tenha apenas em atenção que se estiver muito quente, e um sol muito forte, não existem grandes sombras em toda esta área. Durante praticamente todo o trilho não existem árvores de todo, e mesmo junto ao Poço, cascatas e lagoas, as sombras são muito limitadas.

Igualmente importante é notar que este trilho não deve ser feito em dias de chuva ou mesmo de chuva nos dias anteriores, pois é feito sobre muita rocha que quando molhada se pode tornar bastante perigoso. Se estiver habituado a caminhadas de montanha, pode experimentar, mas não aconselhamos.

Assim desaconselhamos que faça esta caminhada durante o Inverno, pois a probabilidade de estar a chover, ou ter chovido nos dias anteriores e ainda estar tudo molhado é muito grande. Durante a Primavera e Outono pode ser uma boa caminhada, mas mais uma vez tenha atenção que não vai tirar partido da grande atracão da caminhada e que o tempo muda muito facilmente em montanha.

Melhor altura do ano para visitar o Poço do Dola
Trilho para o poço da Dola

Quem pode fazer o trilho?

Este é um trilho para aventureiros, ou pelo menos pessoas habituadas a caminhar na montanha. Não pela distância, nem sequer pela dificuldade, mas porque é um trilho não marcado, apenas mariolado, que exige alguma orientação e que tem muito pouca gente.

Desaconselhamos de todo que o faça com crianças.

Quem pode fazer o trilho para o Poço do Dola
vale da Abelheira no Gerês

O que levar para o Poço do Dola?

Esta é uma caminhada pelo coração do Gerês. É uma área que não tem nada, além da natureza. Assim tem que levar tudo o que precisa. Para este percurso deve levar:

  • Muita água (no mínimo 2l por pessoa);
  • Alguns snacks;
  • Calçado de caminhada confortável;
  • roupa confortável;
  • Mesmo que esteja calor, leve calças pois existe imensa vegetação em algumas partes dos trilhos;
  • Casaco de chuva, no Inverno;
  • Roupa de banho, óculos de sol, chapéu e protector solar no verão;
  • Câmara e telemóvel, pois existem muitas oportunidades para tirar belas fotos. Telemóvel também para ser usado como GPS;
  • Mochila pequena para levar tudo isto;

Como sempre, por favor não faça lixo. Traga tudo o que levar consigo.

O que levar para o Poço do Dola
Vacas a pastar ao longo do trilho para a cascata do Dola

Como chegar ao trilho para a Cascata do Dola?

Tal como referimos em cima os dois trilhos que conhecemos para o Poço do Dola começam bem perto um do outro, na estrada M308. Um junto à captação de água do Ribeiro da Abelheira (coordenadas 41°46’46.9″N 7°59’41.7″W), o outro um pouco mais à frente (coordenadas 41°46’26.6″N 7°59’11.0″W).

Apesar de mudar de número várias vezes, a M308 é basicamente a estrada que vai de Cabril para Montalegre, uma das estradas mais populares do PN Peneda-Gerês.

Como chegar ao trilho para a Cascata do Dola
Trilho curto para chegar à Cascata do Dola

Onde ficar perto do Poço do Dola?

Perto do Poço do Dola não existem hotéis ou alojamentos. Os alojamentos mais perto serão provavelmente em Cabril, em Outeiro, e talvez o hotel Misarela, junto à Ponte da Misarela.

No entanto, acreditamos que não é necessário ficar o mais perto possível do Poço do Dola para usufruir do mesmo. Por isso a nossa sugestão é que veja o nossa artigo Onde ficar no Gerês, onde exploramos tanto os melhores alojamentos como as melhores áreas para ficar no Gerês.

Sharing is caring!


This will close in 45 seconds