Trilho da Ponte da Misarela – PR5 MTR

O trilho da ponte da Misarela PR5 MTR é um dos mais populares do Norte de Portugal e da região do Gerês. No entanto, decorre sempre do lado de fora do Parque Nacional, e a própria ponte da Misarela fica a menos de 1 km da fronteira do Parque. Originalmente este trilho chama-se Entre Cávado e Rabagão, pois fica numa zona do concelho de Montalegre exactamente entre os rios Cávado e Rabagão.

A principal razão para a popularidade deste trilho é sem dúvida a ponte da Misarela, também chamada de ponte do Diabo. Esta ponte medieval atravessa o rio Rabagão junto a uma cascata criando um cenário fabuloso. No verão é possível mergulhar nos poços junto à ponte, enquanto que na época das chuvas é possível apreciar o esplendor das quedas. Além do cenário natural onde se encontra a Ponte da Misarela é um local de lendas e de história.

Este é um trilho já com alguns anos, e talvez por isso algumas marcações já deixam a desejar. Em baixo vamos descrever o trilho na totalidade, mas aconselhamos que leve GPS ou mapa, pois sem ele será difícil não se perder do percurso desejado. Vamos então explorar o PR5 Montalegre – Ponte de Misarela.

Trilho da Ponte da Misarela - PR5 MTR
Vista ao rio Cávado

Trilho da Ponte da Misarela – informação geral

  • Nome: PR5 MTR – Entre Cávado e Rabagão
  • Inicio – Sidrós, junto ao Parque de jogos
  • Fim – Sidrós, junto ao Parque de jogos
  • Distância – Cerca de 12 km
  • Tempo necessário – 4 horas
  • Dificuldade – moderada
  • Máx/min altitude: 653/300 metros
  • Ganho de altitude: 353 metros
  • Tipo – circular
  • Sinalização (1-5) – 2, tem longos períodos sem sinalização e nessas partes é muito difícil seguir o trilho sem GPS/Mapa
  • Destaques: Ponte da Misarela, cascata da Misarela, estrada romana, mesa dos mouros
  • Pode fazer download do panfleto aqui
Trilho da Ponte da Misarela - informação geral
Cascata da Misarela

Nossa experiência no trilho da Ponte da Misarela

O Trilho da Ponte da Misarela – PR5 MTR é um percurso circular, pelo que teoricamente poderá começar em qualquer ponto que voltará a esse local no final do trilho. No entanto, o ponto inicial do folheto e o local onde praticamente toda a gente inicia a caminhada é em Sidrós (Vila Nova, freguesia de Ferral, Montalegre) junto ao campo de jogos, e ao excelente hotel da Misarela. Aqui existe um pequeno parque de estacionamento onde poderá deixar o carro e um painel informativo sobre o trilho e a ponte.

Para iniciar o trilho deverá descer durante uns 50 metros na estrada principal e virar depois à esquerda numa estrada de paralelos. A partir daqui temos algumas marcações do trilho e sinalização para a Ponte. É pouco mais de um km até à ponte, primeiro pela aldeia, mas rapidamente se entra na calçada romana e inicia-se a descida até à Ponte da Misarela.

Como fazer o trilho da Misarela
Estrada romana a caminho da ponte da Misarela

Também chamada de ponte do Diabo (ver lenda em baixo), a Ponte de Misarela é uma obra medieval magnifica com um vão livre de 13 metros e uma altura considerável. A somar a isto temos uma bonita cascata a apenas alguns metros. Durante os meses com mais chuva a cascata leva bastante água e torna-se bem impressionante. Este é o ponto alto do trilho, pelo que perca algum tempo a explorar beleza da zona antes de continuar.

Tudo sobre o trilho da Misarela
Ponte e Cascata da Misarela

Para continuarmos o percurso oficial, temos de voltar para trás, e iniciar uma longa subida. No entanto, sugerimos que saia um pouco deste percurso e continue no mesmo caminho após a ponte durante uns 500 metros a um 1 km, pois é um trilho lindíssimo ao longo das escarpas do do rio Rabagão.

Informações sobre o trilho da misarela
Estrada romana

Voltando para o percurso, temos agora uma longa subida pela frente, inicialmente no mesmo percurso de ida para a Misarela, mas depois seguimos por um pequeno trilho pelo monte acima. A partir do momento que saímos do caminho para a ponte do diabo, a sinalização piora, até se chegar a uma parte em que basicamente não temos indicações. Sem GPS não será fácil acertar no percurso a fazer.

A subida é longa e dura cerca de 4 km, com algumas partes bem inclinadas. A parte inicial é quase sempre em terra, e após cerca de 1.5km temos um pequeno detour para ir à mesa dos mouros. Mais uma vez, não está bem sinalizado, se não estiver atento ao GPS, provavelmente vai perde-lo. Na mesa dos mouros, a vista para o vale do Rabagão é espectacular.

Dicas sobre o trilho da misarela
Vista para o vale do Rabagão

Depois de apreciar a vista, continuamos a subir até chegar a estrada principal, e depois continuamos a subir até chegar a uma nova estrada em terra com um portão. Esta é a fase do percurso menos bonita, pior marcada, além de ter vários portões fechados. A ideia é continuar a subir até chegarmos a Ferral, o ponto maior alto do percurso. Ao chegar a Ferral temos de continuar até chegar novamente à estrada principal, e depois de alguns metros, viramos à esquerda e para iniciarmos uma longa descida.

Tilhos no Gerês - trilho da Misarela
Portões pelo trilho

A partir de Ferral voltamos a ter mais indicações, e curiosamente nota-se claramente que muitas são novas. É difícil perceber porque não foi feito o mesmo para o resto do percurso. A descida é bem mais bonita que a subida; de inicio caminhamos por caminhos agrícolas, até chegar à aldeia de Viveiro onde se passa pela capela de nossa senhora da Abadia.

Percurso da Misarela

Após Viveiro, continuamos a descer entrando em zonas densamente florestadas, com sobreiros e carvalhos. Algures a meio da descida encontramos mais uma pequeno desvio (este assinalado) para o Penedo das Pegadas. Atenção que a descida para o Penedo é talvez a parte mais perigoso do percurso, pois é apertada e pode-se escorregar se estiver húmido.

Tudo sobre o trilho da misarela
Penedo das Pegadas

Logo após o penedo das Pegadas a paisagem volta a mudar, pois saímos definitivamente da zona florestal e vamos por um caminho medieval com paisagens deslumbrantes para o Rio Cávado, e serras do Geres e Barroso. Na nossa opinião esta é a parte mais bonita do percurso, após a Misarela claro.

Finalmente chegamos a Vila Nova, voltamos a entrar na estrada principal, depois atravessamos a aldeia pelas suas ruas e algumas centenas de metros depois chegamos novamente a Sidrós, e ao campo de Jogos. Toda esta fase final do percurso está bastante melhor sinalizada; não é perfeito, mas é suficiente para se seguir o trilho.

Como fazer o PR5 MTR
Serras do Geres e Barroso

Melhor altura do ano para fazer o PR5 Montalegre

Na nossa opinião a melhor altura do ano para fazer o trilho é a sem dúvida a Primavera. Nesta estação, já se apanham temperaturas agradáveis, mas não está quente suficiente para ser desagradável. Mas, mais importante ainda, normalmente os rios têm algum caudal, fazendo com que a paisagem seja ainda mais bonita, e a cascata mais impressionante. Finalmente, na Primavera tudo está bastante verde o que é sempre uma vantagem.

Apesar de ser um trilho com bastantes sombras, tem alguns longos períodos ao sol, o que no Verão pode ser problemático. Por outro lado, a única área onde é possível ir à água é mesmo perto da ponte, no rio Rabagão. Assim, acaba-se por não tirar grande partido da vantagem das temperaturas de Verão. Além do mais, se o que procuramos é um poço para mergulhar, existem melhores opções no Parque Nacional.

Melhor altura do ano para fazer o PR5 Montalegre
Vista para a serra do Gerês

Quem pode fazer o trilho da Ponte da Misarela?

Este é um trilho relativamente longo (12km) e com muito poucas partes planas. Para o completar, serão precisas cerca de 4 a 5 horas. Apesar de tecnicamente não ser difícil é um trilho para pessoas com um mínimo de preparação física e que estejam habituadas a caminhar bastantes horas. Desaconselhamos completamente que o façam com crianças pequenas ou com idosos.

O lado positivo é que se querem ver a Ponte da Misarela, não têm de todo de o fazer completamente e podem simplesmente ir a ponte e voltar. São cerca de 3km (ida e volta) e assim já é acessível a bastante mais gente.

Quem pode fazer o trilho da Ponte da Misarela?

É possível ir à Ponte da Misarela sem fazer o trilho?

Não é possível ir à ponte sem fazer uma caminhada. Esta não tem acessos para carros ou até 4×4. No entanto, não é preciso fazer o trilho todo para ir à Ponte do Diabo. Para isso basta iniciar o trilho em direcção à Misarela (pouco mais de 1 km) e depois voltar.

Existe uma outra alternativa que não implica sequer fazer este trilho, que é aceder à Ponte pelo lado de Ruivães, a partir da estrada CM1397. Um pouco antes de se chegar à ponte sobre o Rio Cávado, tem um parque de estacionamento e um painel informativo. A partir daí é fácil chegar à Ponte, pois além da distancia ser relativamente curta, é também um percurso muito mais plano. Finalmente, é um percurso muito bonito numa estrada bem antiga ao longo das escarpas. Caso tenha limitações de mobilidade ou viaje com crianças, é uma opção bem mais fácil.

ir à Ponte da Misarela

O que levar?

Este não é um trilho especialmente técnico, mas dado que deverá demorar cerca 4 horas a fazê-lo aconselhamos que leve:

  • Muita água (no mínimo 1l por pessoa, 2 se for no verão);
  • Snacks e almoço para fazer um picnic na natureza;
  • Calçado de caminhada confortável; É possível fazer de sapatilhas, mas é preferível que faça com botas de caminhada. Desaconselhamos completamente que faça de chinelos.
  • roupa confortável;
  • Casaco de chuva, no Inverno;
  • Roupa de banho, óculos de sol, chapéu e protector solar no verão;
  • Câmara e telemóvel, pois existem muitas oportunidades para tirar belas fotos. Telemóvel também para ser usado como GPS, neste trilho tem partes que é bem necessário.
  • Mochila pequena para levar tudo isto;

Como sempre, por favor não faça lixo. Traga tudo o que levar consigo.

Destaques do trilho da misarela
Percurso do trilho da misarela

Como chegar ao trilho?

O inicio do trilho é bastante fácil de identificar pois além de estar bem indicado, fica junto ao Hotel da Misarela e ao campo de jogos. O parque e a ponte também estão indicadas na sinalização da estrada que passa por Sidrós (esta estrada tem o curioso nome de rua da estrada).

Para chegar ao inicio do trilho, temos de apanhar a estrada N103 a partir de Braga que vai em direcção ao Gerês, passar por Salamonde e até Ruivães. Em Ruivães viramos para CM1397 em direcção ao Cávado. Notem que antes de chegarmos ao Cávado temos uma indicação para a ponte da Misarela, mas este é o acesso pelo outro lado da Ponte. É lindíssimo como referimos em cima mas não fazer parte do percurso.

Após atravessar o Cávado entramos na CM1021 e viramos à direita, continuamos por menos de um km, e voltamos a atravessar o Cávado, e começamos a subir. A partir daqui estamos em Vila Nova (na famosa rua da estrada) e em pouco tempo vai aparecer o Hotel da Misarela e o Campo de Jogos.

Como chegar ao trilho a misarela
Acesso à Ponte da misarela pelo lado de Ruivães

Onde ficar quando fizer o PR5 Montalegre?

Caso queira ficar na zona da Ponte da Misarela, a melhor opção de alojamento é bastante óbvia e já a referimos várias vezes, o Hotel Rural da Misarela. É um excelente hotel, muito confortável, com piscina exterior e restaurante. Veja mais informação aqui.

Caso contrário pode ficar numa das Aldeias do Gerês ou em Montalegre. Veja o mapa com mais opções em baixo:

Booking.com

Se gosta de caminhadas veja em baixo algumas das nossas outras sugestões:

Sharing is caring!

So glad to see you are interested in Portugal

Want to be the first one to receive the new Portugal stuff?

Enter your email address below and we'll send you the goodies straight to your inbox.

Thank You For Subscribing

This means the world to us!

Spamming is not included! Pinky promise.