Os 20 melhores doces de Portugal

Os portugueses adoram doces e pastéis. Adoramos tanto que tornamos a coisa uma arte! Em nenhum país que conhecemos é tão fácil experimentar os doces e pastéis tradicionais como em Portugal. Todas as cidades, vilas e aldeias têm a sua padaria e pastelaria vendendo os doces tradicionais do país e da região. Faz parte da nossa cultura ir a uma pastelaria, tomar um café, acompanhado por algo doce.

Além da abundância de padaria e pastelarias, Portugal tem também um número sem fim de pastéis e doces tradicionais. Por isso, é muito fácil sentir-se perdido na imensa variedade e quantidade de diferentes bolos, doces e pastéis sempre que se vai a uma pastelaria. Para o ajudar a perceber o que são e a escolhê-los reunimos aqui os 20 melhores doces portugueses. Mas antes temos de explicar a historia por trás de uma grande parte dos doces tradicionais Portugueses.

Doçaria em Portugal

A história da doçaria portuguesa começou sobretudo nos conventos no século XV. Existem centenas destes doces e pastéis, e quase todos todos eles utilizam um ingrediente mágico, gemas de ovo. A este conjunto de doces costumamos chamar de doces conventuais

Nos conventos Portugueses havia uma grande abundância de gemas porque as claras era usadas para engomar os hábitos da freiras. Inicialmente, para adoçar os doces a freiras usavam mel, mas com o início da época dos descobrimentos o açúcar das colónias passou a estar disponível, vindo principalmente dos Brasil e da Madeira.

Além de servirem para engomar, as claras dos ovos também começaram a ser usadas para filtrar o vinho do porto, contribuindo assim para um excedente cada vez maior de gemas que era encaminhado para mais doçaria conventual. Com o passar o tempo, e a posterior dissolução das ordens religiosas, algumas receitas perderam-se mas muitas foram passando entre gerações familiares, chegando aos dias de hoje.

Assim, não se surpreendam com a quantidade de gemas de ovos que são usadas nos doces portugueses tradicionais. 

Os 20 melhores doces tradicionais portugueses

Pastel de nata

O pastel de nada é o doce português mais popular, e mais conhecido internacionalmente. Este famoso doce é tão simples como delicioso, e não devem haver muitos portugueses que nunca o tenham experimentado. 

É uma mini tarte estaladiça com recheado com creme de ovos e depois assado no forno. É normalmente servido com canela e/ou açúcar em pó por cima. Uma das formas mais típicas de comer pastel de nata é ao pequeno almoço com um expresso. Mas no fundo, qualquer altura é boa para se comer um bom pastel de nata.

O pastel de nata tem origem em Belém, no século XIX. O pastel foi inventado no mosteiro dos Jerónimos pelos monges que lá habitavam. No entanto, com a dissolução das ordens religiosas em Portugal, o pastel passou a ser vendido junto ao mosteiro e mais tarde na “Antiga Pastelaria de Belém”, e foi chamado de Pastel de Belém. 

Apenas os chefs desta pastelaria têm a receita original do Pastel de Belém. Assim a receita é um segredo que apenas esta pastelaria sabe, e por isso os pastéis de nata vendidos por esta pastelaria são chamadas de Pastéis de Belém, enquanto que todos os outros são Pastéis de nata. 

The best Traditional Portuguese pastries
O sempre presente pastel de nata

Onde comer os melhores Pastéis de Nata?

Tal como dissemos antes, o Pastel de nata é vendido um pouco por todo o país, e por isso existem imensas oportunidade para o experimentar. Assim aconselhamos que experimente comer um (ou vários) bem fresquinhos, acabados de sair do forno. O cheiro é inconfundível.

Em Lisboa aconselhamos que experimentem o Pastel de Nata da Pastelaria Santo António, pois é considerado um dos melhores do país. A pastelaria Alcoa e a Manteigaria também têm muito boa fama pelos seus pastéis de nata. A sorte é que todas estas pastelarias ficam na baixa lisboeta (ou muito perto) pelo que será bastante fácil lá ir enquanto visita a cidade. 

No Porto, os melhores pasteis de nata são da manteigaria, da Nata Lisboa e Natas D’Ouro. Todos eles são deliciosos e servidos quentinhos, acabados de fazer.

Relativamente ao Pastel de Belém, tal como dissemos inicialmente, este é apenas vendido na Pastelaria em Belém, Lisboa, pelo que se os quiser experimentar, tem de lá ir. Vale bem a pena!

Os melhores pasteis de nata de Portugal
os melhores pasteis de nata que comemos… na pastelaria Santo António em Lisboa

Pão de ló

O pão de ló é um bolo húmido feito com ovos, farinha e açúcar. Os portugueses simplesmente adoram este bolo, mas é mais tradicional na Páscoa e no Natal. É consumido como sobremesa, lanche, ou com café e chá.

O que muitos Portugueses não sabem é que o pão de ló tem no século XVIII e era conhecido como pão de Castela. Quando os portugueses viajaram ao Japão, uma das influências que deixaram na cozinha Japonesa foi exactamente o pan de castella(pão de Castela) que inspirou a criação do famoso bolo Japonês Kasutera.

Existem imensas variações do pão de ló, sendo que cada cidade tem a sua. No entanto, o mais famoso será com certeza o pão de ló de Ovar. O Pão de ló de Ovar é ainda mais húmido que o Pão de ló “normal” e é feito com bastantes mais gemas de ovo, nomeadamente com 18 gemas, mais 6 ovos inteiros. Isto faz com que o produto final seja extremamente húmido, sendo o interior praticamente líquido. É divinal! O pão de ló de ovar tradicional é feito numa forma de barro (caçoila) forrada com um papel especial, chamado papel de almaço. 

Doces e bolos portugal
O típico pão de ló de Ovar

Onde comer Pão de ló?

O lugar certo para se comer pão de ló (de Ovar) é em Ovar… No entanto, existem pastelarias especializadas em Pão de ló em vários locais do país. Outros Pão de ló muito famosos e que valem com certeza a pena experimentar são o de Margaride, o de Arouca, de Alfeizerão, e o Bolinhol (de Vizela).

Ovos Moles

Tal como dissemos anteriormente, os doces portugueses usam abundantemente gemas de ovo mas este consiste apenas em gemas e açúcar! 

O Doce de Ovos é simplesmente isso, gemas e açúcar, mas pode ser apresentado de diversas formas! Pode ser servido numa tigela, ou vendido dentro de um barril e comida à colher, ou então colocado em wafer finíssimos e com formato de peixes e conchas. Esta é uma sobremesa incrivelmente doce e rica, e por isso deliciosa. No entanto, para algumas pessoas é demasiado doce ou tem sabor a ovo muito forte… Coisas que não entendemos sinceramente.. 🙂

Doces portugal
Ovos moles em wafer em forma de peixe

Onde comer ovos moles?

O melhor lugar para comer ovos moles é em Aveiro, no centro de Portugal. Lá vai encontrar ovos moles em todo o lado. A boa notícia é que eles ficam frescos e saborosos durante bastante tempo e por isso é um óptimo souvenir. Além do mais, se comprar os pequenos barris, pode sempre guardá-los depois como uma lembrança.

Que doces comer em Portugal? Um barril de doce de ovos
os curiosos barris de ovos moles de Aveiro

Travesseiros de Sintra

O travesseiro de Sintra é um pastel fofo e delicioso, feito com uma massa fofa coberta com açúcar e recheada com um creme de ovo e amêndoa. O nome travesseiro vem exactamente do facto de serem fofos e terem um formato que se assemelha a tal objecto.

Tal como o nome indica este pastel vem de Sintra, mais concretamente da padaria “A Piriquita”, fundada em 1862. O segredo do recheio é um segredo guardado até hoje. Os portugueses gostam tanto deste doce que vão a Sintra apenas para o comer. No entanto, existem muitas outras razões para se visitar Sintra, como o Castelo dos Mouros, a Quinta da Regaleira, e o Palácio da Pena ficam todos nesta vila

Onde Comer?

Tal como dissemos anteriormente, esta iguaria tem de ser comida em Sintra, mais concretamente na Piriquita.

Fidalgo

O fidalgo é um bolo simples… sem grandes complicações… são só doce de ovos, em cima de doce de ovos com trouxas de ovos pelo meio. Na nossa opinião, é o pináculo dos doces conventuais. Depois de provar o fidalgo, vai querer comer o bolo todo, mas talvez seja melhor ideia comer apenas uma fatia… 

Este é um bolo típico do Alentejo, mas não é um bolo especialmente conhecido, e muitos portugueses não conhecem sequer a sua existência. Nem é muito fácil de comprar, e ainda menos de fazer pois implica muito tempo e bastante técnica. No entanto, é tããão bom, que não podíamos deixá-lo de fora desta lista.

Portugal doces - Fidalgo
o inigualável Fidaldo

Onde comer?

Os melhores lugares para encontrar o fidalgo são no Alentejo, nomeadamente em Évora e Beja, mas mesmo aqui apenas alguns lugares o têm. A melhor forma de provar o fidalgo será mesmo nas feiras de verão, onde muitas vezes aparece como um dos doces típicos alentejano. 

Pastel de Tentúgal

O pastel de Tentúgal é um pastel crocante, feito com massa filo e recheado com creme de ovo. Este é também considerado um pastel conventual, e tem as suas origens bem definidas no Convento de Nossa Senhora do Carmo em Tentúgal, Coimbra. 

É por muitos considerado um dos melhores doces de Portugal pois o delicioso e suave creme de ovos contrasta com a textura crocante da massa filo. 

Onde comer?

Apesar de ser possível encontrar em diversos lugares ao longo de país, é mais fácil e mais tradicional no centro, mais especificamente na zona de Coimbra, de onde é originário.

Doces Portugueses
Os inesquecíveis pasteis de Tentúgal

Pão de Deus

O nome deste doce já nos diz algo sobre quão ele é… O pão de deus é basicamente pão doce coberto com coco, creme de ovos e açúcar. Pode ser comido simples (nosso favorito) mas também com manteiga, fiambre, e queijo.

No entanto, temos de notar que a qualidade do pão de deus varia imensamente consoante a pastelaria ou padaria. Quando é bom é espectacular, mas muitas vezes é só mais ou menos, ou nem por isso… Na realidade, demoramos algum tempo a perceber porque tanta gente gosta de pão de deus, porque nunca tínhamos comido um realmente bom!

Onde comer?

O melhor lugar para comer pão de deus é em Lisboa. Quase todas as pastelarias têm, e foi lá que comemos os melhores da nossa vida, nomeadamente na Manteigaria. No resto do país, existem em bastante pastelarias, mas muitas vezes não são assim tão bons…

Sobremesas deliciosas de portugal
Delicioso pão de Deus que comemos em Lisboa

Bolo de Mel Madeira

O Bolo de Mel da Madeira é um bolo como nenhum outro nesta lista. Em primeiro lugar, não leva ovos moles, e em segundo lugar utiliza especiarias que não são típicas da cozinha portuguesa (além da canela). É um doce tradicional da Madeira, e por isso muito difícil de encontrar no resto de Portugal.

Este bolo é feito com mel de cana de açúcar, noz, amêndoa, uvas passas, canela, cravinho, estrela de anis e vinho da madeira. É relativamente parecido ao bolo de fruta, típico do Natal.

Deve ser cozinhado no dia 8 de Dezembro, no dia de Nossa Senhora da Conceição, marcando o início das celebrações natalícias. Uma curiosa tradição é que o bolo de mel não deve ser cortada à faca, mas sim com as mãos. 

Onde comer?

Este é um bolo muito local, e especifico da Madeira. Dificilmente o vai encontrar noutro lugar que não a Madeira, e talvez alguns restaurantes madeirenses no continente. É tradicional no Natal, mas é possível comprar durante todo o ano.

Torta de Azeitão

A torta de Azeitão é um pequeno rolo recheado com creme de ovo. As pequenas tortas são uma autêntica iguaria, fofas e com um sabor rico devido ao creme de ovo, à canela e ao limão que o creme leva. 

A produção da torta de Azeitão data ao início do século XX, a uma pastelaria chamada, “O Cego”. A esposa do dono terá inventado este doce que foi sucesso imediato e chegou até aos dias de hoje. 

Onde comer

Tal como o nome indica, este doce vem de Azeitão, uma localidade a norte de Setúbal. No entanto, é um bolo que se encontra bastante difundido pelo país pelo que é possível encontrá-lo tanto em supermercados como em diversas pastelarias.

Bola de Berlim

A Bola de Berlim é um bolo frito, recheado com creme de ovo, e coberto com açúcar (em Portugal). No entanto, este não é um doce original Português, a bola de Berlim, tal como o nome indica vem de Berlim na Alemanha.

Na Alemanha a “bola de Berlim” é normalmente chamada berliner, mas são ligeiramente diferentes das portuguesas. São normalmente mais pequenas, e são recheadas com geleia de frutos vermelhos. A berliner veio para Portugal, através dos refugiados judeus da segunda guerra mundial. E claro, sendo nós portugueses, tínhamos que colocar doce de ovos neste doce e torná-lo maior. Porque quanto maior é melhor, certo?

Apesar de não ser originalmente portuguesa, foi adoptada e adaptada pelos Portugueses. Nós adoramos as nossas bolas de Berlim. E gostamos especialmente delas no verão, na praia. Quem é o português que nunca esteve na praia e ouviu um vendedor na praia a gritar “booooola de Berliiimmmmm”? O sol, o sal do mar e fome que os mergulhos dão, tornam tudo ainda melhor!

Decadentes bolas de Berlim em Portugal
bolas de Berlim com creme de ovo

Onde comer?

É possível encontrar Bolas de Berlim é praticamente todas as pastelarias do país. Há quem diga que as melhores bolas de Berlim são da Pastelaria Natário em Viana do Castelo, mas isso é bastante discutível! Não que as bolas do Natário não sejam muito boas, mas se são realmente AS melhores!

Como dizíamos em cima, é também relativamente fácil encontrá-las na praia, apenas de precisa tomar atenção à pessoa que está a gritar enquanto leva uma caixa delas para vender. 

Pastel de Feijão

O Pastel de Feijão é um pastel feito a partir de pasta de feijão branco. Pode soar um bocado estranho à primeira vista, mas é bom. A receita foi criada por Joaquina Rodrigues de Torres Vedras no século XIX, e como toda a gente adorou a novidade a sua família começou a vendê-las e depois até criou uma fábrica para as produzir em maior quantidade.

Este pastel é feito com massa quebrada e recheado com uma pasta de feijão branco, farinha de amêndoa, gema de ovo, e açúcar. Não se preocupem demasiado com o feijão, não é um sabor dominante. De facto, se não soubéssemos que lá estava provavelmente nem notariam.

Onde comer?

Apesar de terem sido criados em Torres Vedras, actualmente este é um doce nacional, vendido em praticamente todas as pastelarias do país. Mas se estiverem por lá, experimente um pastel de feijão da Fábrica da Coroa, a fábrica original deste doce.

Queijadas

Este é um doce complicado de explicar. Existem tantas queijadas e tão diferentes entre elas… mas vamos lá tentar. Queijadas são doces suaves e muito saborosos que incluem nos seus ingredientes queijo fresco, leite, ovo e açucar. Este é um doce muito antigo, que vem desde a idade média e chegava mesmo a ser usado como forma de pagamento. Talvez as mais famosas queijadas são as de Sintra, mas também existem queijadas muito boas e conhecidas na Madeira, Évora, Oeiras, e Pereira. Mas também é difícil fazer um doce fraco com queijo, açúcar e ovos… estes ingredientes juntos são uma bomba de sabor!

Queijadas,um dos nossos pastéis favoritos em Portugal
Uma deliciosa queijada

Onde comer as melhores queijadas?

Bem, dado que existem queijadas (diferentes) típicas espalhadas um pouco por todo o país, é possível comê-las um pouco por todo o país, mas especialmente nas terras que referimos acima, Sintra, Madeira, Açores, Évora, Oeiras, Pereira…

Brigadeiro

Apesar dos portugueses comerem bastantes brigadeiros e destes aparecerem em praticamente todas as pastelarias do país, este não é um doce originariamente português. O brigadeiro vem do Rio de Janeiro, Brasil e foi criado durante a campanha do candidato Brigadeiro Eduardo Gomes. Foi chamada de Brigadeiro em sua honra e era oferecido durante a campanha. O brigadeiro Eduardo Gomes não foi eleito mas o seu doce claramente ganhou o coração dos brasileiros e depois dos portugueses.

O Brigadeiro é feito com leite condensado, cacau em pó e manteiga, e depois é coberto com pepitas de chocolate. é mais uma das excepções nesta lista, pois não leva ovos, mas também não é originalmente português.

Onde comer?

Existem brigadeiros em imensas pastelarias, espalhadas pelo país, por isso é fácil experimentar esta delícia brasileira que os portugueses adoptaram. 

Os 20 melhores doces de Portugal
Brigadeiro de Chocolate

Patas de Veado

As patas de veado têm um nome estranho, mas ele vem só e apenas do facto da forma do bolo se parecer (ligeiramente) com patas de veado. A pata de veado consiste num pequeno pão de ló recheado com doce de ovos, enrolado e cortado na diagonal. Depois é coberto com coco e decorado com uma linha de canela.

A data ou o lugar de criação das patas de veado são desconhecidas, mas é um doce muito habitual em Portugal. É um bolo bastante popular pois mistura alguns sabores muito populares como o creme de ovos, a canela e o coco.

Onde comer?

As patas de veado não são tão comuns como alguns doces desta lista, mas podem ser encontrados um pouco por todo o país.

Pampilhos

O pampilho é um pequeno bolo rectangular feito com uma massa densa e não cozinhada, que é recheada com doce de ovos e canela. A grande peculiaridade deste doce é mesmo a massa por cozinhar que lhe dá um sabor e textura bem específicos.

Este bolo tem origem em Santarém, e foi criado para homenagear o campino do Ribatejo. Os campinos trabalham a cavalo e tipicamente usavam uma vara chamada pampilho para controlar os touros da região. 

Pampilhos e patas de veado são dos melhores bolos de Portugal
Pampilhos no centro esquerda da foto, e patas de veado à direita

Onde comer?

O pampilho é um doce muito típico na sua terra de origem, Santarém. Uma das mais famosas pastelarias que fazem este bolo é a “Bijou”. No entanto é também possível encontrar o pampilho em muitas outras pastelarias espalhadas pelo país. 

Bolo de Arroz

O bolo de arroz é um clássico da pastelaria portuguesa. É uma mistura fofa entre um muffin e um cupcake, feita com farinha de arroz. Por usar farinha de arroz, o nome ficou bolo de arroz, mas não tem nada a ver com os crackers estaladiços de arroz. A farinha de arroz faz com que fique húmido e suave no meio, com um sabor amanteigado. Por cima é mais estaladiço e acastanhado e polvilhado com açúcar.

Onde Comer?

Os 20 melhores doces de Portugal
Bolo de Arroz

Cavacas

Cavacas são um um doce seco feito com farinha, ovo, brandy, azeite e açúcar e cobertos com uma pasta de claras e açúcar. Apesar de muito secos (e por isso muito duradouros) são um bom bolo para se comer com chá ou café. 

As cavacas mais conhecidas e características são as de Coimbra, mas existem muitas cavadas conhecidas e algumas bem diferentes. Existem as cavacas de Margaride que parecem-se mais com biscoitos de farinha, ovo e açúcar, e cobertas com uma pasta de claras e ovos. Ou as Cavacas de Resende que são basicamente pequenos pão-de-ló cobertos com uma pasta de claras e açúcar.

Apesar das cavacas de Coimbra serem provavelmente as mais conhecidas, não se surpreendam se encontrarem imensas variações deste bolo. Uma coisa interessante sobre as cavacas é que as pessoas costumavam fazê-los na Páscoa e oferecê-la como presente durante este período.

Jesuítas

O Jesuíta é um bolo feito com massa folhada, amanteigada e em camadas. No interior tem um ligeiríssimo creme de ovo e por cima tem uma cobertura crocante. É um bolo crocante e suave, cheio de sabor e textura. O bolo recebeu o nome devido à ordem religiosa, e foi-lhe dado um formato que se assemelha aos típicos hábitos dos monges jesuítas. 

O Jesuíta tem origem em Santo Tirso, na pastelaria Moura, onde um pasteleiro espanhol trabalhava e inventou este bolo, inspirando-se numa receita de Bilbao. Por isso, é possível encontrar um pastel semelhante ao Jesuíta no norte de Espanha. No entanto, a versão portuguesa é muito mais conhecida.

Onde comer?

O Jesuíta é uma especialidade de Santo Tirso e em particular da pastelaria Moura. É possível encontrar Jesuítas em muitas outras pastelarias do país, mas sinceramente ainda não encontrarmos nenhuma que sequer fosse parecida à original. Existem algumas variações do Jesuíta, nomeadamente com receios ou com amêndoa por cima. 

Jesuitas da Moura, uma das maravilhas gastronómicas de portugal
os incríveis jesuítas da Moura

Churros e Farturas

Os Churros são doces crocantes feitos com farinha, ovos, água e manteiga e depois são fritos e cobertos com açúcar e canela. Podem ser comidos simples, com açúcar e canela ou usados para mergulhar em chocolate quente. 

Os churros são claramente um doce ibérico, normalmente as pessoas associam-no muito com Espanha mas é também muito famoso em Portugal. De facto, a sua origem não é clara, existem duas histórias para a sua origem. A primeira é que a receita veio da china, e foi trazida pelos portugueses durante a época dos descobrimentos, e assim os churros seriam baseados no Youtiao. Apesar de os churros terem a forma de estrela e os youtiao serem puxados e sobretudo salgados e não doces. A outra história é que os churros terão sido inventados por pastores espanhóis que os faziam nas montanhas e comem ao pequeno almoço.

Em Portugal existe um outro tipo de churros, os churros recheados. A massa é a mesma, mas são maiores e por dentro tem um buraco que se recheia com um creme à escolha, normalmente chocolate, creme de ovo, ou o que houver. Os portugueses comem-nos bastante durante festas populares e outras festividades.

Além dos churros, as festas em Portugal têm outro doce muito popular, as farturas. As facturas são feitas com farinha, fermento em pó, manteiga e açúcar. A melhor altura para comer farturas é quando ainda estão quentes, com açúcar e canela por cima. Se as comer frias, não são tão boas. 

Churros, um dos melhores doces em Portugal
Churros recheados e decorados

Onde comer?

Tanto os churros como as farturas são vendidas por vendedores ambulantes em feiras e festas ao longo de todo o país. É por vezes possível encontrar alguns destes vendedores fora das feiras mas é bastante mais difícil. 

Doces típicos de Natal

Existem alguns outros doces e sobremesas tradicionais em Portugal, que são comidos sobretudo durante o natal e ano novo. Alguns desses doces incluem rabanadas, bolo rei, Pão de ló, aletria e arroz doce. Mas isso fica para um próximo artigo!

Sharing is caring!

shares